Webnário: A Tragédia de Édipo Rei na Psicanálise (Realiz. 12/07/17)

Neste segundo encontro abordamos "a tragédia de édipo na psicanálise" onde foi discutido como Freud buscou na tragédia de Sófocles o estabelecimento das bases do seu famoso Complexo, que juntamente com a Castração formam o núcleo do reprimido. 

Notação, atenção e interpretação

Por Alê Esclapes1

A partir de três trabalhos de Freud (Projeto para uma psicologia cientifica, A interpretação dos sonhos, e Dois princípios do funcionamento mental), Bion explora os conceitos de notação e atenção. A notação seria uma palavra mais ligada a armazenamento de informações.

Psicanálise e Zen Budismo

Por Alê Esclapes1

O trabalho desenvolvido por Bion pode ser dividido em três ou quatro fazes, variando de acordo com o estudioso. Em uma primeira fase Bion vai de debruçar sobre as questões kleinianas de identificação projetiva e o pensamento esquizofrênico.

As perversas chuvas de verão

Por Ale Esclapes1

Donald Meltzer definiu de uma forma muito particular a perversão na psicanálise, e John Steiner seguindo seus passos fez uma excelente contribuição à psicanálise ao se inspirar em Bion. Esses três autores nos legaram uma nova interpretação do mito de Édipo – este mito seria menos sobre desejos que sobre verdades.

Saia Justa

Por Alê Esclapes1

Recentemente no Programa Saia Justa do canal GNT discutia-se sobre o papel do homem e da mulher modernos (aliás, parece que em todos os programas o tema é o mesmo). Nesse especificamente as mulheres reclamavam que os homens deveriam ajudar mais as mulheres, “dividir” o fardo, etc...

Longe da árvore

Por Ale Esclapes¹

Freud nos ensina que o amor paterno/materno é baseado no que ele chamou de “forma narcisista de amar” o que significa que os pais amam os seus filhos a partir do que eles são, foram ou gostariam de ser. Em outras palavras é um amor egoísta, sendo uma visão bem menos romântica que o conceito de "Família Doriana".

Inveja e gratidão

Por Ale Esclapes1

Inveja é um sentimento que nos impede de ter acesso às coisas boas da vida. Ela é prima do orgulho. Juntos nos isolam das pessoas queridas, nos jogando em uma solidão muitas vezes insuportável. O invejoso não consegue reconhecer as coisas boas que outra pessoa pode dar, e muitas vezes responde com agressividade e destruição com aqueles que podem ajudá-lo, ou possuem algo que lhes dá admiração.

A memória e o inconsciente

Por Alê Esclapes1

Em psicanálise o conceito de inconsciente esta intrinsecamente ligado ao conceito de memória. A repressão é o que acaba por organizar essa ligação. Em um dos mais importantes artigos sobre técnica já escritos, Freud trabalha bem esse tema em Recordar, Repetir e Elaborar, de 1914.

Jacques-Marie Émile Lacan

Por Ale Esclapes1

Foi um psicanalista francês. Formado em Medicina, passou da neurologia à Psiquiatria, tendo sido aluno de Gatian de Clérambault. Teve contato com apsicanálise através do surrealismo e, a partir de 1951, afirmando que os pós-freudianos haviam se desviado do sentido da obra freudiana, propõe um retorno a Freud.

A sociedade depressiva

Por Ale Esclapes1

Paira no ar uma insustentável obrigação de sermos felizes, o tempo todo. Ela nos intoxica como um gás que faz sofrer lentamente, e tem como o corolário da falta de ar a depressão. O sentimento de depressão, tão comumente associado a uma doença, faz parte sim do repertório de emoções de todo e qualquer ser humano.

Sobre desejos e casamento

Por Ale Esclapes¹

Para essa mulher o casamento dos sonhos seria um marido que discutisse a relação, que conversasse antes e depois do sexo, que lhe levasse para jantares fantásticos nos melhores restaurantes da cidade, lhe surpreendesse com flores e chocolates, e lhe dissesse que a ama pelo menos três vezes ao dia.