Alegria Artificial - Sérgio Vaz

Por Ale Esclapes¹

Em mais um vídeo da série Poesia & Psicanálise eu e a atriz Maira Helen discutimos assuntos como felicidade e depressão no mundo contemporâneo a partir da poesia Alegria Artificial de Sérgio Vaz.

O Diálogo como Ferramenta de Prevenção ao Suicídio

Por Ale Esclapes¹

O diálogo é sempre apontado como uma das ferramentas de prevenção ao suicídio. Mas afinal o que é um diálogo? Nesse vídeo eu abordo três aspectos importantes do que caracteriza um diálogo e porque ele é importante na prevenção ao suicídio.

Para Comer Depois - Adélia Prado

Por Ale Esclapes¹

Esse é o primeiro vídeo da série Poesia & Psicanálise, onde eu e a atriz Maira Helen batemos um papo sobre a poesia “Para comer depois” de Adélia Prado. Esse vídeo é um pouco diferente dos demais - inicia com uma interpretação da poesia por Maira Helen.

Três condições para ser um psicanalista

Por Ale Esclapes¹

Nesse vídeo enumero três condições básicas para ser um psicanalista atualmente.

Psicoterapia da Histeria

Por Ale Esclapes¹

Nesse artigo vou discutir as mudanças técnicas empregadas por Freud ao longo da obra "Estudos sobre Histeria" e fazer uma análise da parte final do livro chamada “A psicoterapia da Histeria” escrita por Freud. O modelo catártico tem um elemento temporal muito forte que entrelaça um trauma a um sintoma. Isso faz com que a técnica consista numa investigação de causas. No início a hipnose, bem como os poderes que se imaginava que essa tivesse desde de Mesmer, ou seja, ampliação da consciência o que permitiria lembrar de fatos recalcados.

O caso Elisabeth von R.

Por Ale Esclapes¹

No artigo anterior eu discuti o modelo catártico, a questão da sugestão e inferências (caso Emmy von N.). Nesse caso quero me aprofundar na questão da inferência. Mas antes, vamos falar um pouco sobre o caso clínico em si, que é considerado o mais próximo da psicanálise dos apresentados em Estudos sobre Histeria. 

O caso Emmy von N.

Por Ale Esclapes¹

A análise deste caso vai ser pouco mais extensa pois ele tem muitas complexidades. Mas primeiro vamos falar um pouco sobre o caso. Essa é mais uma das pacientes que apresentam no mínimo um quadro misto que, na minha opinião estaria mais próximo da paranoia que da histeria.

O caso Anna O.

Por Ale Esclapes¹

O caso "Anna O" ao contrário do que muitos pensam é um caso clínico de Breuer e não de Freud. Ela foi atendida entre 1881 e 1882, cerca de 14 anos antes da publicação de "Estudos sobre Histeria". Alguns sintomas chamam a atenção nesse caso clínico - delírios, fantasias de perseguição, reviver dramas exatamente um ano depois, nos mesmo dias em que ocorreram (jamais narrado em nenhum outro caso clínico em psicanálise), etc.

Casos Clínicos em Psicanálise

Por Ale Esclapes¹

O que são os famosos casos clínicos e quais são os objetivos de quem os escreve? São relatos factuais de um atendimento? Em que medida eles são científicos ou históricos? Nesse vídeo vou discutir o que são casos clínicos em psicanálise.

LEIA MAIS

Fechner, Brücke, Meynert e Exner

Por Ale Esclapes¹

Como vimos no artigo anterior sobre Herbart, esse propôs que toda representação possui uma energia vinculada à ela. Gustav Theodor Fechner vai desenvolver essa ideia, principalmente no que tange ao termo “energia”, unindo-a a física. Ele vai propor por exemplo uma equação matemática entre o estímulo e a sensação do mesmo:

Comunicação Preliminar (Freud e Breuer)

Por Ale Esclapes¹

O "Estudo sobre Histeria" foi lançado em 1895, mas o primeiro artigo que acompanha essa obra que é a comunicação preliminar foi escrita conjuntamente com Breuer em 1893. A divisão desta obra é: Comunicação Preliminar, Casos Clínicos, um do Breuer e os demais do Freud, a parte teórica elaborada por Breuer e a parte técnica elaborada por Freud.